sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Feliz Natal



A todos os cibernautas um feliz Natal e que nasça no coração de cada ser humano esse deus de infinita bondade por que anseia toda a humanidade, desde os tempos mais remotos.



Belém



Fins de dezembro. A noite é fria.

Pesa um silêncio triste, enorme

Por sobre a terra, que sorria

À luz do Sol. E tudo dorme.



O luar, agora, álgido, escorre

Pelas campinas. Vales, montes

Dormem. Apenas vela e corre

A água do rio, a água das fontes.



Velam também os pegureiros.

Guardam, fiéis, os seus rebanhos.

E esses zagais, rudes, grosseiros,

À luz do luar tornam-se estranhos.



Olhando o céu (que noite linda!)

Falam com toda a gravidade

Desse Messias, cuja vinda

Espera ansiosa a humanidade.



Jonathas Serrano (1855-1944)

Sem comentários:

Enviar um comentário